quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Suspeito é morto em tiroteio com Fuzileiros Navais na Avenida Brasil


Fuzileiros navais perto do corpo de suspeito morto em tiroteio na Avenida Brasil Foto: Guilherme Pinto / Agência O Globo

Ele teria tentado roubar uma moto. Duas faixas da via ficaram interditadas por mais de 3h

Um suspeito de roubar uma motocicleta morreu ao trocar tiros com fuzileiros navais, na manhã desta quarta-feira, na Avenida Brasil. O confronto aconteceu na altura do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into). Duas faixas da pista central ficaram fechadas por mais de três horas.

ROUBO DE MOTO NA AVENIDA BRASIL

Um analista de sistemas que se identificou como Lennon, de 32 anos, disse ao jornal "Extra" que vinha da Baixada Fluminense, onde mora, em direção ao trabalho, no Centro, usando sua moto. Estava parado no engarrafamento quando foi abordado por dois homens armados, que roubaram a moto e fugiram. A dupla recebia cobertura de mais três suspeitos.

Alguns metros depois, os suspeitos na moto se depararam com os fuzileiros e, ainda de acordo com Lennon, atiraram nos militares, que revidaram. O que estava na garupa foi atingido. O outro conseguiu escapar.

— Eu fiquei feliz com a presença dos militares, apesar de ficar sem a minha moto, o roubo não foi bem sucedido, já que um deles morreu — disse Lennon.

Antes de assaltarem Lennon, os suspeitos tentaram levar a moto BMW do advogado Geraldo Freire, de 50 anos, morador em Jacarepaguá, na Zona Oeste. Mas os criminosos abandonaram o veículo quando o alarme tocou. Em seguida, eles abordaram um motorista da Uber, que estava num Siena preto e levaram celular e a carteira da vítima.

Freire contou que trafegava pela Avenida Brasil quando foi abordado pelos bandidos. Ele reduziu a velocidade porque achou que eram pessoas pedindo informações. Um dos criminosos mostrou uma arma e anunciou o assalto. Ele ainda pediu para ficar com alguns pertences, mas os assaltantes o ignoraram.

— Parabenizo o comandante da guarnição. O sentimento é de indignação e impotência — comentou o advogado, que nunca tinha sido assaltado antes.

A assessoria de imprensa do Comando Militar do Leste (CML) informou que os militares, "cumprindo as orientações e procedimentos para atuação na Operação Carioca, reagiram atirando somente no assaltante que estava armado". E, ainda, que um Inquérito Policial Militar (IPM) será instaurado para apurar as circunstâncias do tiroteio. Veja aíntegra da nota:

"O Ministério da Defesa informa que na manhã desta quarta-feira fuzileiros navais que faziam patrulhamento nas imediações da Rodoviária Novo Rio se confrontaram com dois assaltantes que tentavam roubar uma moto. Cumprindo as orientações e procedimentos para atuação na Operação Carioca, reagiram atirando somente no assaltante que estava armado. O criminoso foi baleado e veio a falecer no local. De imediato, a rua foi interditada pelos fuzileiros até que a perícia seja feita e o corpo trasladado para o Instituto Médico-Legal (IML). Um Inquérito Policial Militar (IPM) será instaurado para apurar as circunstâncias do evento".

INTERDIÇÃO DE PISTAS DA BRASIL

Devido ao tiroteio, a pista central da Avenida Brasil teve duas faixas interditadas, no sentido Centro, por 3 horas e 20 minutos, até as 12h37m. Segundo o Centro de Operações Rio, houve retenções na Avenida Brasil, a partir de Ramos, em direção ao Centro; na Linha Amarela, na saída para a Avenida Brasil, em Bonsucesso; e na Ponte Rio-Niterói, na saída para a rodoviária. Para minimizar o congestionamento, a faixa reversível da Radial Oeste foi estendida. Após a liberação das pistas, o trânsito ainda ficou lento até Manguinhos.

O Globo/O País em Pauta