quinta-feira, 27 de abril de 2017

Marinha abre concurso para nível superior; salários chegam a R$ 10,5 mil brutos


Resultado de imagem para concurso marinha

O processo seletivo é aberto a candidatos de ambos os sexos e os principais requisitos são: ser brasileiro nato, possuir menos de 36 anos de idade.

A Marinha está com as inscrições abertas para concurso público destinado ao preenchimento de 29 vagas, de nível superior, do Quadro Técnico do Corpo Auxiliar da Marinha.

Os interessados devem se inscrever pelo site e efetuar o pagamento de R$ 110.

O processo seletivo é aberto a candidatos de ambos os sexos e os principais requisitos são: ser brasileiro nato, possuir menos de 36 anos de idade, até o dia 1º de janeiro de 2018, e ter o curso superior concluído na área em que se inscrever. 

As áreas são: Comunicação Social(2), Direito(4), Educação Física(2), Estatística(2), Informática(6), Meteorologia(2), Oceanografia (2), Pedagogia(3), Psicologia(2), Serviço Social(2) e Segurança do Tráfego Aquaviário(2). Esta última compreende Engenharia Naval e Ciências Náuticas.

Todos os candidatos realizarão provas de conhecimentos profissionais e redação, dentre outros exames. 

O Curso de Formação de Oficiais é realizado no Rio de Janeiro, no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW), durante 39 semanas. O candidato cursará como Guarda-Marinha, recebendo remuneração mensal, além de diversos benefícios como alimentação, uniforme, assistência médico-odontológica, psicológica, social e religiosa. 

De acordo com o edital, após a aprovação no curso de formação, no final de 2018, o militar será nomeado Primeiro-Tenente, com remuneração de cerca de R$10.500,00 brutos.

Correio da Bahia/O País em Pauta

SSP e associação negam paralisação dos policiais militares nesta sexta-feira (28) em Salvador



Resultado de imagem para paralisação pmbaA mensagem atribuída à Associação de Praças da Polícia Militar 
tem circulado nas redes sociais.

A Secretaria da Segurança Pública e o Comando-Geral da PM negaram nesta quinta-feira (27) o boato de que os policiais militares vão parar durante a greve nacional programada para esta sexta (28) contra as reformas trabalhista e da previdência. 

Por meio de nota, as duas instituições afirmaram ser falsa uma mensagem que circula nas redes sociais apontando uma possível paralisação, atribuída à Associação de Praças da Polícia e Bombeiro Militar da Bahia (APPMBA).

Resultado de imagem para paralisação 28/04Em nota, a SSP disse que estará nas ruas "garantido o direito democrático dos baianos protestarem". Ainda segundo a nota, caso haja bloqueio de rodovias ou estradas, "serão adotados os protocolos para liberação do trânsito" para garantir o direito de ir e vir dos moradores que não estiverem participando da paralisação. A SSP disse ainda que "espera que as manifestações transcorram de maneira pacífica", conclui a nota.

Já a associação informou que apoia as manifestações contra as reformas e se disse favorável aos movimentos que vão ocorrer nesta sexta. A entidade defende que "este é um momento que a população baiana mais precisa do efetivo policial trabalhando nas ruas para que o povo possa exercer com segurança e tranquilidade suas legítimas reivindicações". 

A APPMBA também repudiou as notas divulgadas em redes sociais atibuindo a ela a convocação para a paralisação dos policiais militares. 


O que deve parar nesta sexta (28)?

De acordo com o presidente do sindicato, Hélio dos Santos, nem os 30% da frota prevista por lei para rodar em períodos de greve sairá das garagens. Segundo ele, o compromisso de manter parte da frota é das empresas.

"Não vai ter ônibus nas ruas até porque nada irá funcionar na cidade. Lojas, bancos, nada. Os trabalhadores irão parar", frisou Hélio. A paralisação deve durar 24 horas.Os ônibus deverão circular apenas até o início da madrugada de sexta-feira, quando se encerram os últimos horários noturnos. "Temos uma responsabilidade social e não pod

emos deixar as pessoas na rua", disse Hélio. Após a paralisação, o serviço só deverá ser retomado na madrugada de sábado (29). 

Procurado, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Setps) informou que a ordem é para que os coletivos circulem normalmente na cidade. Segundo o diretor de relações sindicais, Jorge Castro, o Setps não tem como negociar com a categoria e a paralisação dos rodoviários é ilegal.

"Essa não é uma greve exclusiva do setor de transporte público. O que eles estão reivindicando não somos nós que podemos atender, por isso, não temos o que negociar. Além disso, para fazer uma paralisação eles teriam que publicar um edital informando a população com até 72h de antecedência, por isso, se eles fizerem piquete na porta das garagens ou impedirem os ônibus de circularem estão cometendo uma ilicitude", afirmou.

Outras categorias também anunciaram paralisação para a próxima sexta-feira. Confira algumas delas abaixo:

Médicos

Segundo o Presidente do Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed-BA), Francisco Magalhães, serviços como atendimentos de urgência e emergência de hospitais públicos e particulares continuarão sendo ofertados para a população. Apenas atendimentos considerados eletivos, como consultas marcadas serão suspensas.

Escolas particulares

Em Salvador, cerca de 70 escolas da rede privada de ensino vão suspender as aulas. Em todo o estado, 120 instituições de ensino devem fechar as portas, segundo Cristina Souto, diretora do Sindicato dos Professores do Estado da Bahia (Sinpro-BA).

Escolas públicas

O sindicato da APLB anunciou que os profissionais da rede municipal e estadual vão aderir a greve. Já a Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC-BA) está orientando os gestores escolares a abrirem as portas das unidades para a comunidade escolar. A pasta informou que, caso as aulas sejam suspensas, os Núcleos Territoriais de Educação se reunirão com os gestores que tiveram as atividades prejudicadas para definir o calendário de reposição das aulas.

Bancários

Os bancários também paralisam as atividades. Todas as agências bancárias da capital e do interior do estado não vão funcionar. A decisão da categoria é nacional. 

Trens

O serviço da Companhia de Transporte da Bahia (CTB), que opera os trens entre a Calçada e o subúrbio de Salvador, também vai estar suspenso. A decisão foi tomada pelo Sindicato dos Ferroviários e Metroviários da Bahia e Sergipe.

Fazendários

Os Fazendários do Município de Salvador decidiram aderir à greve geral, em assembleia conjunta da Associação Baiana de Auditores Fiscais Municipais (Abam) nesta quarta-feira (26).

Confira outras categorias:

Policiais Civis (apenas agentes que estão de folga vão participar das manifestações)

Professores da rede pública de ensino

Trabalhadores em saúde da rede pública

Rodoviários de Salvador e Região Metropolitana

Comerciários de Salvador, Irecê, Itabuna e Ilhéus

Bancários de todas as bases sindicais da Bahia

Metalúrgicos

Servidores do Judiciário estadual e federal

Trabalhadores da construção civil

Técnicos administrativos das universidades federais

Petroleiros

Servidores públicos estaduais

Correio da Bahia/O País em Pauta

Trabalhadores dos Correios entram em greve por tempo indeterminado na BA, diz sindicato


Assembleia dos Correios em Salvador, na noite de quarta-feira (26), deflagrou greve (Foto: Divulgação/ Sincotelba)

Paralisação na Bahia adere ao movimento nacional da categoria, que determinou greve desde as 22h de quarta-feira (26).

Os trabalhadores dos Correios na Bahia decidiram aderir à greve nacional da categoria e cruzaram os braços desde as 22h de quarta-feira (26), de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do Estado (Sincotelba). 

A decisão foi tomada em assembleia no mesmo dia, em frente à agência central dos Correios, no bairro do Comércio.

Com a paralisação, 30% dos trabalhadores devem continuar trabalhando e a entrega de encomendas emergenciais, a exemplo de medicamentos, deve ser mantida, de acordo com o Sincotelba. A mobilização em todo país é feita pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (FENTECT).

Procurada pelo G1 na manhã desta quinta-feira (27), a assessoria dos Correios afirmou que ainda não tem posicionamento sobre a paralisação.

A diretora do Sincotelba Sandra Balbino disse que a categoria é contra a possibilidade de privatização dos Correios e o fechamento de unidades da empresas que estaria previsto para todo o país.

“A privatização dos Correios gera prejuízo para toda a população. Está previsto o fechamento de 200 agências em todo o país, principalmente em cidades pequenas. Lembrando que os Correios têm cunho social e as agências chegam em vários lugares como representantes bancários”, defende.

Ela afirma que os trabalhadores também reclamam da falta de atendimento pelas clínicas e hospitais credenciadas pelo plano de saúde dos Correios, o CorreioSaúde, e ainda pedem a tomada de medidas de segurança nas agências, como implantação de portas giratórias, devido ao aumento no número de assaltos.

G1 Bahia/O País em Pauta

Hospital Sarah abre vagas em Salvador e outras capitais; salários chegam a R$ 5.418,05



Os requisitos são de escolaridade em nível médio, curso técnico na área pretendida e seis meses de experiência.

A Associação das Pioneiras Sociais (APS) anunciou a abertura de 12 processos seletivos que visam a contratação para atuarem nas Unidades SARAH, pertencentes às cidades de Salvador- BA, Brasília - DF, Belo Horizonte - MG, Fortaleza - CE, Rio de Janeiro - RJ e São Luís - MA.

As oportunidades são para Auxiliar de Copa e Cozinha (16), Cozinheiro (6) e Técnico de Nutrição e Dietética (4). Os requisitos são de escolaridade em nível médio, curso técnico na área pretendida e seis meses de experiência.

As inscrições podem ser realizadas pelo site do SARAH, entre os dias 2 e 11 de maio de 2017. A taxa de inscrições é de R$ 35; R$ 48 ou R$ 70, que varia de acordo com o cargo de sua preferência.

Os candidatos inscritos serão submetidos à prova objetiva, composta por 50 questões em caráter eliminatório e classificatório, além de prova discursiva, apenas em caráter classificatório, ambas previstas para o dia 18 de junho de 2017. Os salários variam de R$ 1.279,24 a R$ 5.418,05.

IBahia.com/O País em Pauta

segunda-feira, 27 de março de 2017

Mais de 100 países iniciam negociações sobre proibição de armas nucleares


Resultado de imagem para armas nucleares

Em feito inédito, mais de 100 países iniciaram, nesta segunda-feira (27), negociações sobre um tratado que proíbe armas nucleares. 

Eles acreditam que, com isso, será possível reduzir o risco de uma guerra atômica, apesar da objeção das grandes potências. 

O lançamento destas negociações foi decidido em outubro do ano passado com o apoio de 123 países membros das Nações Unidas. 

Resultado de imagem para armas nuclearesNo entanto, de acordo com informações da AFP, a maioria das potências nucleares votou contra, a exemplo de Estados Unidos, França, Israel, Reino Unido e Rússia, ou se absteve, como China, Índia e Paquistão. 

Único país a sofrer um ataque nuclear, em 1945, o Japão também votou contra as negociações. 

Entre as nações que defendem a iniciativa estão Áustria, Irlanda, México, África do Sul, Suécia e Brasil. 

De acordo com a publicação, a previsão é de que a primeira fase dessas negociações seja concluída no dia 7 de julho.

Bahia Notícias/O País em Pauta

Brasil Chile e Uruguai se preparam para retirar tropas do Haiti


Resultado de imagem para tropas haiti

Brasil, Chile e Uruguai, os países latino-americanos que lideram os capacetes azuis no Haiti, se preparam para a retirada de suas tropas do país, ao fim de 13 anos de missão, desgastados pelas consequências dos desastres naturais, dos escândalos sexuais e das sequelas do cólera.

"Fora tropas do Haiti", lê-se em um muro em frente ao palácio legislativo do Uruguai, lembrando o acalorado debate em torno do tema pelos parlamentares uruguaios, que esperam tomar uma decisão em abril sobre a retirada de seus mais de 250 soldados deslocados para o país caribenho.

No Brasil, o Ministério da Defesa disse à AFP que aguardará a determinação da ONU e parece relutante a considerá-la concluída.

"Essa foi uma missão muito importante para o Brasil porque coincide com o tempo em que o governo Lula buscava posicionar-se como líder no mundo e ocupar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU, lembrou à AFP María Cristina Rosas, acadêmica da Universidade Nacional Autônoma do México e autora de vários livros sobre missões de paz.

"O governo brasileiro atualmente não passa por seu melhor momento, sua imagem internacional deteriorou-se e o país precisa continuar fortalecendo sua projeção", avaliou.

Já o Uruguai não parece tão resistente a mudanças.

"No dia 15 de abril estaremos em condições de regressar", anunciou Jorge Menéndez, ministro da Defesa uruguaio, em dezembro.

Para Gonzalo Novales Mayol, presidente da comissão de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados uruguaia, o Haiti não está pronto para ficar sozinho.

"Acho que isso poderia ser feito paulatinamente até que nosso país irmão Haiti consiga consolidar uma democracia", disse à AFP Novales Mayor, do opositor Partido Nacional.

Jovenel Moïse assumiu a presidência do Haiti em fevereiro, depois de uma longa crise que começou com a anulação das eleições em 2015 e passou também por seu adiamento um ano depois, por conta dos danos provocados pelo furacão Matthew.

O Chile também anunciou a partida de seus quase 350 soldados do Haiti, o país mais pobre da região América Latina e Caribe.

"É hora de concluir a participação dos efetivos militares que estão na Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti)", disse há cerca de um mês Marcos Robledo, ministro da Defesa chileno.

A decisão de retirar os militares da primeira missão de paz na América Latina liderada por países da região terá que ser ratificada pelos congressos nacionais.

- Fonte de tensão -

A ONU chegou ao Haiti em 1990 com uma missão de observação nas primeiras eleições do país, vencidas por Jean Bertrand Aristide, derrubado por um golpe militar no ano seguinte.

As missões foram mudando suas características até chegar na Minustah, em 2004, uma missão de paz que, segundo especialistas, chegou a reunir até 20.000 militares no terreno.

Nesse tempo o Haiti passou por calamidades. Um terremoto em 2010 resultou na morte de 220.000 pessoas, incluindo o chefe da missão dos capacetes azuis. Depois do terremoto veio a epidemia de cólera, que matou mais de 9.000 pessoas, e em outubro do ano passado o furacão Matthew, que deixou 550 vítimas fatais.

A imagem da missão da ONU foi abalada pelo contágio do cólera, introduzido por soldados do Nepal no país após o terremoto, e pelas denúncias de centenas de mulheres haitianas que, em 2015, admitiram ter mantido relações sexuais com capacetes azuis em troca de serviços e de bens materiais.

"Pelo ponto de vista das ONGs na América Latina (que denunciam os abusos dos capacetes azuis e a falta de interesse dos governos da região), pode-se dizer que chegou o momento de a Minustah se retirar", disse à AFP Juan Battaleme, especialista em segurança regional e diretor do curso de Relações Internacionais da Universidade Argentina da Empresa.

Para o especialista, os capacetes azuis se transformaram em uma "fonte de tensão no Haiti", sem levar melhores condições de segurança.

A missão no Haiti está entre as quatro mais denunciadas de casos de abuso sexual no mundo, , segundo a ONU, que pretende nomear um defensor dos direitos das vítimas.

Depois que os Estados Unidos anunciaram um corte na ajuda econômica dada à organização, o secretário-geral Antonio Guterres propês em documento concluir a Minustah até outubro, com a retirada dos 2.370 militares que atualmente estão no país, substituindo-os por 295 policiais.

Estado de Minas/O País em Pauta

WhatsApp dará 2 minutos para usuário apagar mensagens enviadas


Resultado de imagem para whatsapp correio24horas

A nova função, que já está presente no principal rival do WhatsApp, o Telegram

O WhatsApp vai permitir apagar uma mensagem em até 2 minutos após após ela ser enviada em uma conversa, segundo imprensa americana especializa em tecnologia. 

A versão da ferramenta, ainda em fase de testes, já havia sido desenvolvida em outra versão do aplicativo para troca de mensagens.

Atualmente, só é possível apagar a mensagem enquanto ela ainda não foi enviada do celular, por alguma falha no sistema de envio. É possível ainda apagar a mensagem já enviada, porém, ela só desaparece da conversa, e não impede a leitura do usuário que a recebeu.

A nova função, que já está presente no principal rival do WhatsApp, o Telegram, vai dar dois minutos para o usuário se arrepender. O tempo do Telegram é maior: 48 horas após o envio. O destinatário da mensagem não conseguirá ler o texto, mas receberá um alerta avisando que o remetente retirou a informação.

Correio da Bahia/O País em Pauta

sexta-feira, 24 de março de 2017

Marinha: concurso com 200 vagas em pauta para a Saúde


Resultado de imagem para hospital naval marcílio dias

Em breve, um novo concurso para civis pode entrar em pauta na Marinha do Brasil. De acordo com informação obtida pela FOLHA DIRIGIDA, será solicitada ao Ministério do Planejamento a realização de uma seleção para preenchimento de 200 vagas na área da Saúde, das quais, 174 serão para o Hospital Naval Marcílio Dias (HNMD). 

Os cargos já foram definidos: auxiliar de enfermagem (que exigirá nível médio), enfermeiro, farmacêutico e médico (nível superior).

Para o HNDM, localizado no Lins, a expectativa é de 20 vagas de auxiliar de enfermagem, 26 de enfermeiro e dez de farmacêutico estarão, para regimes de 40 horas semanais. Além disso, são esperadas 108 vagas de médicos em diversas especialidades, entre elas as de Patologia (14), Anestesiologia (sete), Pediatria (14) e Radiologia (quatro), para regimes de 20 horas.

No Rio de Janeiro, também haverá dez vagas para auxiliar de enfermagem na Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória. As demais oportunidades estarão disponíveis em unidades do Nordeste e Centro-Oeste. Remunerações e benefícios ainda não foram divulgados.


Em relatório elaborado pela Secretaria de Controle Externo no Estado do Rio de Janeiro, o Diretor do HNMD, Edmar da Cruz Arêas, afirma que há uma "relação desproporcional do quantitativo de profissionais da área de saúde comparado com o total de usuários". O diretor também apontou uma possível situação de crise no Sistema de Saúde Militar no HNMD, apesar da adoção das medidas de prorrogação contratual e remanejamento de mão de obra adotadas.

Folha Dirigida/O País em Pauta

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Suspeito é morto em tiroteio com Fuzileiros Navais na Avenida Brasil


Fuzileiros navais perto do corpo de suspeito morto em tiroteio na Avenida Brasil Foto: Guilherme Pinto / Agência O Globo

Ele teria tentado roubar uma moto. Duas faixas da via ficaram interditadas por mais de 3h

Um suspeito de roubar uma motocicleta morreu ao trocar tiros com fuzileiros navais, na manhã desta quarta-feira, na Avenida Brasil. O confronto aconteceu na altura do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into). Duas faixas da pista central ficaram fechadas por mais de três horas.

ROUBO DE MOTO NA AVENIDA BRASIL

Um analista de sistemas que se identificou como Lennon, de 32 anos, disse ao jornal "Extra" que vinha da Baixada Fluminense, onde mora, em direção ao trabalho, no Centro, usando sua moto. Estava parado no engarrafamento quando foi abordado por dois homens armados, que roubaram a moto e fugiram. A dupla recebia cobertura de mais três suspeitos.

Alguns metros depois, os suspeitos na moto se depararam com os fuzileiros e, ainda de acordo com Lennon, atiraram nos militares, que revidaram. O que estava na garupa foi atingido. O outro conseguiu escapar.

— Eu fiquei feliz com a presença dos militares, apesar de ficar sem a minha moto, o roubo não foi bem sucedido, já que um deles morreu — disse Lennon.

Antes de assaltarem Lennon, os suspeitos tentaram levar a moto BMW do advogado Geraldo Freire, de 50 anos, morador em Jacarepaguá, na Zona Oeste. Mas os criminosos abandonaram o veículo quando o alarme tocou. Em seguida, eles abordaram um motorista da Uber, que estava num Siena preto e levaram celular e a carteira da vítima.

Freire contou que trafegava pela Avenida Brasil quando foi abordado pelos bandidos. Ele reduziu a velocidade porque achou que eram pessoas pedindo informações. Um dos criminosos mostrou uma arma e anunciou o assalto. Ele ainda pediu para ficar com alguns pertences, mas os assaltantes o ignoraram.

— Parabenizo o comandante da guarnição. O sentimento é de indignação e impotência — comentou o advogado, que nunca tinha sido assaltado antes.

A assessoria de imprensa do Comando Militar do Leste (CML) informou que os militares, "cumprindo as orientações e procedimentos para atuação na Operação Carioca, reagiram atirando somente no assaltante que estava armado". E, ainda, que um Inquérito Policial Militar (IPM) será instaurado para apurar as circunstâncias do tiroteio. Veja aíntegra da nota:

"O Ministério da Defesa informa que na manhã desta quarta-feira fuzileiros navais que faziam patrulhamento nas imediações da Rodoviária Novo Rio se confrontaram com dois assaltantes que tentavam roubar uma moto. Cumprindo as orientações e procedimentos para atuação na Operação Carioca, reagiram atirando somente no assaltante que estava armado. O criminoso foi baleado e veio a falecer no local. De imediato, a rua foi interditada pelos fuzileiros até que a perícia seja feita e o corpo trasladado para o Instituto Médico-Legal (IML). Um Inquérito Policial Militar (IPM) será instaurado para apurar as circunstâncias do evento".

INTERDIÇÃO DE PISTAS DA BRASIL

Devido ao tiroteio, a pista central da Avenida Brasil teve duas faixas interditadas, no sentido Centro, por 3 horas e 20 minutos, até as 12h37m. Segundo o Centro de Operações Rio, houve retenções na Avenida Brasil, a partir de Ramos, em direção ao Centro; na Linha Amarela, na saída para a Avenida Brasil, em Bonsucesso; e na Ponte Rio-Niterói, na saída para a rodoviária. Para minimizar o congestionamento, a faixa reversível da Radial Oeste foi estendida. Após a liberação das pistas, o trânsito ainda ficou lento até Manguinhos.

O Globo/O País em Pauta

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Prefeitura de Salvador-BA abre estágio nível médio


Resultado de imagem para estágio prefeitura de salvador

Começam nesta segunda-feira, 13, as inscrições de processo seletivo para estágio de nível médio na prefeitura de Salvador, na Bahia. A seleção disponibiliza 30 vagas e oferece auxílio de R$ 494,94.

Neste certame, regido pelo Edital 1/2017, estão abertas 26 vagas para o turno matutino e 04 para vespertino. 

O interessado deve estar matriculado no 2º ou 3º ano, residir em Salvador, ter 16 anos completos no ato da inscrição e possuir cadastro junto ao http://www.fieb.org.br/iel/estagio.

As inscrições devem ser efetivadas das 08horas do dia 13 de fevereiro de 2017 até as 18horas do dia 14 de fevereiro de 2017, através do site do Instituto Euvaldo Lodi - IEL (http://www.fieb.org.br/iel/estagio).

O processo será realizado no período de 06 a 10 de março de 2017, nos horários de 08h às 12h e 13h às 17h, conforme divulgação de escalonamento e local da prova. O interessado deve acompanhar junto ao http://www.gestaopublica.salvador.ba.gov.br/.

Veja aqui o Edital

Concursos News/O País em Pauta

MARINHA DESATIVA PORTA-AVIÕES SÃO PAULO


O NAe São Paulo era o maior navio militar em operação na América Latina (Alexandre Galante/Poder Naval)

Corporação desistiu do programa de modernização da embarcação, que não navega desde 2014

A Marinha do Brasil (MB) anunciou nesta terça-feira (14) a “desmobilização” do porta-aviões NAe São Paulo. Em outras palavras, a embarcação, que não navega desde 2014, será definitivamente desativada. 

O processo, que inclui a desmontagem de componentes do navio que podem ser reaproveitados, ocorrerá nos próximos três anos.

Segundo o Centro de Comunicação Social da Marinha, o Almirantado, após diversas tentativas de recuperar a capacidade operacional do navio aeródromo, concluiu que o programa de modernização do São Paulo exigiria “alto investimento financeiro, conteria incertezas técnicas e necessitaria de um longo período de conclusão.”

Em nota, a Marinha ainda afirma que a obtenção de um novo porta-aviões ocupará a terceira prioridade de aquisições, atrás do PROSUB (submarino de propulsão nuclear) e o programa de construção das corvetas Classe Tamandaré.

A corporação ainda reiterou que as atividades com aeronaves de asa fixa serão mantidas a partir da Base Aérea Naval, em São Pedro da Aldeira (RJ). É neste local que os caças AF-1 estão concentrados desde que o NAe São Paulo foi estacionado na base da Marinha na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro, em 2014. A MB também afirmou que pretende manter os treinamentos dos pilotos com ajuda de “marinhas amigas.”

Airway/O País em Pauta

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Prevendo onda de greves, Defesa tem 30.000 militares sob alerta



Planos de logística e deslocamento de tropas por terra e ar já foram elaborados. Inteligência do governo identificou risco de greves em quatro estados.

O Ministério da Defesa vem articulando em sigilo nos últimos dias um gigantesco plano de contingência para evitar que as cenas de caos e violência registradas no Espírito Santo se alastrem para outros estados do país. 

Diante da ameaça de greve das polícias militares em pelo menos quatro estados – Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul –, as Forças Armadas elaboraram esquemas de logística e deslocamento de tropas por terra e ar para atuar em cada um dos focos de tensão detectados pelo país. 

A ideia é que as forças melhorem o tempo de reação (bastante criticado no caso do Espírito Santo), caso os governos estaduais decidam recorrer ao reforço militar diante da ameaça grevista.

Um integrante da cúpula do governo que atua diretamente na elaboração dessa estratégia militar disse a VEJA que cerca de 30.000 militares altamente treinados estão a postos nos quarteis das três forças para serem acionados em caso de deflagração de greves pelos estados. São soldados que já atuaram em zonas de conflito como o Haiti, por exemplo.

“Diante da possibilidade de que o presidente da República solicite que as Forças Armadas venham a assumir operacionalmente o controle da segurança de um determinado estado, segue-se um procedimento que é padrão: você faz uma logística, vê os pontos chaves, os pontos críticos e estabelece um oficial de ligação das Forças Armadas com a secretaria de Defesa do estado. A gente tem alguns estados onde essas pré-condições já estão dadas. É o caso do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, de Pernambuco e do Rio Grande do Sul. Já temos planos micro detalhados de emprego de tropas para esses estados”, diz um auxiliar do presidente Michel Temer.

As medidas começaram a ser adotadas depois que relatórios de inteligência que chegaram ao Palácio do Planalto identificaram o risco de disseminação da crise na segurança pública que já resultou em mais de 120 mortes no Espírito Santo, além de uma onda de saques ao comércio e toda sorte de crimes comuns.

A crise no Espírito Santo chega hoje ao sétimo dia. Na manhã desta sexta-feira, o comandante da Polícia Militar, Nylton Pereira, anunciou que 703 policiais militares serão indiciados pelo crime de revolta – caso sejam condenados, os militares podem pegar de 8 a 20 anos de detenção. Segundo o comandante, os PMs tiveram o ponto cortado desde sábado, dia 4, e ficarão sem receber férias e escala especial. “O crime de desobediência, é uma transgressão grave para o militar. Quando evolui para motim, prevê 4 a 8 anos de detenção. Quando os policias estão armados, configura crime de revolta, que prevê pena de 8 a 20 anos. Ontem indiciamos 327 policiais militares por revolta. Hoje indiciamos 376, resultando em 703 indiciados”, afirmou o comandante.

O secretário de Segurança do Espírito Santo, André Garcia, afirmou que o governo não tem mais capacidade de diálogo. A categoria reivindica 43% de reposição salarial. Os representantes dos PMs sugeriram, em reunião nesta quinta, o parcelamento do reajuste – um aumento inicial de 15% e os demais 28% no prazo de 12 meses, mas o governo ofereceu apenas uma possibilidade de reajuste a partir dos resultados de arrecadação do primeiro quadrimestre deste ano, sem apresentar porcentual.

Veja/montedo.com/O País em Pauta

Ministro da Defesa estende prazos das tropas federais no Espírito Santo


O ministro de Defesa, Raul Jungmann, chega a Vila Velha para ver como está a operação Capixaba

Espírito Santo

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, informou neste sábado, em Vila Velha, que as tropas federais ficarão no Espírito Santo pelo tempo que for necessário, até que o policiamento volte a ser restabelecido. 

Os policiais militares do estado estão parados nos quarteis, por uma reivindicação de melhores salários, desde o sábado passado. Inicialmente, a Operação Capixaba, como é chamada a cessão de tropas federais ao Espírito Santo, tinha previsão de se estender até o próximo dia 16.

- A determinação do presidente da República é envolver todos os recursos necessários, pelo tempo que for necessário - disse Jungmann, em pronunciamento no 18º Batalhão de Infantaria, em Vilha Velha, região metropolitana de Vitória. - Quanto à PM, é um tema que cabe ao governo do estado, a quem vamos apoiar em todas as decisões que tomar. As reivindicações são justas, sabemos todos, mas o limite da legitimidade da reivindicação é a proteção e a vida da sociedade. Isso é inaceitável. Aqueles que são bons policiais, devem honrar seu juramento. Fazemos um apelo aos bons policiais que honrem suas fardas e seus juramentos e venham às ruas.

Jungmann veio de Brasília acompanhado do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, do ministro interino da Justiça, José Levi do Amaral, do ministro da secretaria de governo, Antonio Imbassahy, e do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Sérgio Etchegoyen. Todos eles estão reunidos no início desta tarde com os governadores em exercício e licenciado do Espírito Santo, César Colgano e Paulo Hartung.

A reunião discutirá soluções para a crise depois que, na manhã deste sábado, os policiais aquartelados recusaram cumprir o acordo fechado ontem entre o governo estadual e as entidades de classe dos policiais.

Ao informar que o Espírito Santo conta hoje com 3.130 homens de tropas federais (sendo 300 do Força Nacional de Segurança e o restante das Forças Armadas), o ministro da Defesa cometeu um pequeno exagero.

- Temos ainda 180 veículos, três helicópteros e sete blindados. E são 3.130 homens. Hoje, aqui em Vitória, já temos mais policiamento do que em dias normais - disse Jungmann.

Na verdade, o Comando de Polícia Ostensiva da PM conta com 3.500 homens apenas para patrulhar a região metropolitana de Vitória em dias comuns.

O ministro da Defesa comentou ainda a situação da capital capixaba neste sábado, em comparação com o que havia visto na segunda-feira e afirmou que a normalidade está começando a ser restaurada em Vitória.

- Na segunda-feira, era uma cidade fantasma, não se via ninguém nas ruas. Hoje já vi uma cidade que recupera sua normalidade, Vi pessoas circulando, ônibus nas ruas, ainda que não na quantidade habitual.

Com a decisão dos PMs do Espírito Santo de rejeitar o acordo com o governo do estado e manter a greve, a Corregedoria da Polícia Militar decidiu retomar os indiciamentos de praças e oficiais que participam do movimento pelo crime de revolta armada, que prevê pena de 8 a 20 anos de prisão.

O acordo assinado entre o governo do Espírito Santo e entidades de classe de policiais, na noite de sexta-feira, não obteve adesão dos policiais na manhã deste sábado. Eles seguem dentro dos quartéis e mantêm a paralisação iniciada há uma semana, no sábado passado, enquanto as mulheres e familiares completam o movimento ocupando as entradas dos batalhões.

A Secretaria de Segurança confirmou, pouco antes das 9h, que a situação continua a mesma no estado, e que os policiais não voltaram às ruas, como pretendia o governo ao assinar o acordo com as entidades. As associações já não têm mais liderança sobre a maioria da tropa, e fez infrutíferas tentativas, durante a madrugada, de convencer os policiais a voltar para as ruas. Pelo acordo com o governo, quem deixasse os batalhões até as 7h deste sábado, estaria perdoado e não seria processado. Não havia aumento salarial previsto.

Extra Online/O País em Pauta


Fuzileiros Navais apreendem celulares e armas brancas em presídio do RN


Fuzileiros navais montaram barreira em frente ao presídio (Foto: Andrea Tavares/G1)

Vistoria foi realizada nesta sexta-feira (10) na Penitenciária de Parnamirim.
Também foram encontradas drogas no local.

Fuzileiros Navais apreenderam celulares, drogas e armas brancas na revista realizada na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), na Grande Natal, nesta sexta-feira (10). 

A operação chamada 'Varredura' contou com mais de 550 militares, equipamentos de detecção e cães de guerra, além do apoio dos órgãos de Segurança Pública. 

A PEP é uma das unidades prisionais potiguares que têm bloqueadores de celular. Mesmo assim, 8 aparelhos de telefone celular foram apreendidos na ação desta sexta.

De acordo com a assessoria da Marinha do Brasil, além dos celulares, foram apreendidas 216 armas brancas, 8 baterias, 11 chips de celulares, 48 suspeitas de narcóticos e outros 425 itens proibidos, como martelo, pinça, cortador de unha, isqueiro, etc.

Para a revista não houve contato direto dos militares com os detentos, já que os presos foram previamente retirados das carceragens por agentes penitenciários e policiais militares.

A Penitenciária de Parnamirim possui atualmente cerca de 600 detentos. A capacidade, no entanto, é para 288.

G1  RN/O País em Pauta

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Greve da PM? Governador do RJ pede que Força Nacional e Exército fiquem de prontidão



Pezão afirma que, mesmo com benefícios atrasados, não acredita em uma possível paralisação de PMs. 

Governador destaca que situação da Cedae está em discussão na Alerj.

O governador Luiz Fernando Pezão pediu que a Força Nacional de Segurança e o Exército fiquem de prontidão para auxiliar o Governo do Estado do RJ no caso de qualquer necessidade de reforço da segurança no território fluminense. 

A afirmação foi feita pelo governador durante uma entrevista à Rádio Gaúcha, na manhã desta quinta-feira (9).

No entanto, o governador ressaltou que, mesmo com benefícios atrasados, não acredita em uma possível paralisação de PMs nos moldes do que acontece no Espírito Santo.

“Não está na Constituição e não é permitido. É um erro. Ontem eu recebi todo o comando da Polícia Militar e já coloquei para o ministro Raul Jungmann e o ex-ministro da justiça, Alexandre, que ainda estava no cargo, que coloque a Força Nacional de Segurança e o Exército de prontidão”, contou Pezão.

Há seis dias, uma greve da Polícia Militar no estado do Espírito Santo tem provocado uma onda de violência na região metropolitana do estado. Familiares de PMs pedem reajuste salarial e protestam impedindo a saída dos militares dos batalhões. Até a manhã desta quinta, o sindicato dos policiais já tinha registrado 101 mortes violentas.

Segundo o secretário de segurança do estado, André Garcia, mais 110 homens chegam até o fim da manhã para reforçar o efetivo da Força Nacional que atua no ES. O reforço das Forças Armadas deve chegar na parte da tarde. Atualmente, há 200 membros da Força Nacional e mil do Exército patrulhando as ruas.

Pezão defendeu tempo maior de contribuição

Em relação à crise nas finanças do RJ, o governador destacou ainda que os servidores param de trabalhar cada vez mais cedo. Ele acredita que os profissionais públicos do estado deveriam se aposentar mais tarde. Segundo ele, 66% do funcionalismo do RJ se aposenta com menos de 60 anos de idade. Ele afirmou ainda que muitos profissionais chegam a se aposentar ainda na casa dos 40 anos.

“Eu sei que professores e policiais têm um trabalho difícil, mas eu acho que eles têm que permanecer uns 5 ou 7 anos a mais contribuindo. A gente tem mais inativo do que ativo. O nosso déficit da previdência pública é de R$ 12 bilhões”, explicou o governador, ressaltando que a conta não fecha e ainda defendendo o aumento da idade média de aposentadoria para 60 ou 65 anos.

Sobre o uso de ações da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) como moeda de troca para conseguir a liberação de verbas do poder federal para conseguir dinheiro para pagar os servidores, Pezão afirmou que o assunto está encaminhado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

“Hoje começa o processo de colocar as ações da Cedae como garantia desses empréstimos que estamos tentando obter para colocar os salários em dia e ter uma perspectiva de melhorarmos a nossa economia”, explicou o governador.

G1/montedo.com/O País em Pauta

CPesFN da Marinha abre vagas para curso de admissão ao Curso de Formação de Fuzileiros Navais

Resultado de imagem para fuzileiros Navais
Inscrições devem ser feitas a partir do dia 2 de março de 2017, através da internet.

Dos dias 2 a 30 de março de 2017, o Comando do Pessoal de Fuzileiros Navais (CPesFN) da Marinha do Brasil receberá as inscrições para o curso de admissão ao Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais (C-FSD-FN) para as Turmas I e II de 2018.

As inscrições devem ser feitas pelo site www.marinha.mil.br, no link "Concursos para o CFN", das 8h do dia 2 de março de 2017 às 23h59 do dia 30 do mesmo mês. Já nos locais de inscrição, eles devem ser realizadas nos dias úteis, das 8h às 16h. A taxa de inscrição é de R$ 20,00.

Resultado de imagem para fuzileiros NavaisAs vagas disponíveis estão abaixo discriminadas, distribuídas de acordo com os seguintes locais de realização do Estágio Inicial:

Turma I: Unidades da MB no Rio de Janeiro (349), Unidades da MB em Brasília - DF (90), Grupamento de Fuzileiros Navais de Rio Grande - RS(45), 2º Batalhão de Operações Ribeirinhas - Belém/PA (30), Grupamento de Fuzileiros Navais de Ladário/ MS (40), Grupamento de Operações Ribeirinhas - Manaus/ AM (30), Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal/ RN (30), Grupamento de Fuzileiros Navais de Salvador/ BA (20) e BtlDefNBQR - Aramar (16);

Turma II: Unidades da MB no Rio de Janeiro (349), Unidades da MB em Brasília - DF (50), Grupamento de Fuzileiros Navais de Rio Grande - RS(30), 2º Batalhão de Operações Ribeirinhas - Belém/PA (50), Grupamento de Fuzileiros Navais de Ladário/ MS (35), Grupamento de Operações Ribeirinhas - Manaus/ AM (50), Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal/ RN (30), Grupamento de Fuzileiros Navais de Salvador/ BA (40) e BtlDefNBQR - Aramar (16).

Resultado de imagem para fuzileiros Navais
A seleção de admissão ao C-FSD-FN, realizado sob a supervisão do CPesFN, será realizado em seis etapas: Exame de Escolaridade, Verificação de Dados Biográficos, Verificação de Documentos, Inspeção de Saúde, Teste de Suficiência Física e, por fim, Exame Psicológico.

O candidato aprovado no concurso e classificado dentro do número de vagas será matriculado no C-FSD-FN e o realizará na condição de Recruta Fuzileiro Naval (RC-FN). Ao longo do curso, além de serem proporcionados alimentação, uniforme e assistência médico-odontológica, o RC-FN perceberá remuneração atinente à sua graduação.

A C-FSD-FN será conduzido no Centro de Instrução Almirante Milcíades Portela Alves (CIAMPA), situado no Rio de Janeiro e, ao mesmo tempo, no Centro de Instrução e Adestramento de Brasília (CIAB), localizado em Brasília. A duração é de, aproximadamente, dezessete semanas.

Após o primeiro ano de conclusão do C-FSD-FN, o candidato aprovado poderá ser designado para servir em Organização Militar (OM) da Marinha do Brasil (MB) sediada, por sua vez, em qualquer parte do território nacional, independente do local escolhido no momento da inscrição.

Serão distribuídas 1.060 vagas destinadas, preferencialmente, aos candidatos das regiões Sul e Sudeste do Brasil no CIAMPA, e outras 240 no CIAB, voltadas aos candidatos das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste.

O presente Concurso será encerrado na data da matrícula no Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais Turma II de 2018, conforme o edital de abertura publicado em nosso site. O edital já pode ser acessado.

PCI Concursos/O País em Pauta